Article

Dr. Antonio Caballero apresenta em   Tecnologia na Ásia  

Tecnologia na Ásia,   uma publicação digital online que atende a uma comunidade de tecnologia e negócios altamente engajada com mais de 3,5 milhões de   usuários, pediram ao nosso Diretor de Tecnologia para responder a perguntas da Internet sobre InspectionTech e NDT.

tech in asia featuring Antonio caballero

Inspecção de infra-estruturas e bens de estruturas de betão

Descrição do cartão

leadmagnet

Newsletter

Get the best NDT and InspectionTech content delivered straight to your inbox

Tech in Asia, uma publicação digital online que serve uma comunidade tecnológica e empresarial altamente empenhada com mais de 3,5 milhões de utilizadores mensais, pediu ao nosso Diretor de Tecnologia para responder a perguntas da Internet sobre a InspectionTech e o NDT. Veja a entrevista ou consulte o guião abaixo e teste os seus conhecimentos!

Olá, o meu nome é Antonio Caballero e sou o Diretor de Tecnologia da Screening Eagle Technologies. Estou aqui hoje para responder a algumas perguntas da InspectionTech colocadas pela Internet.

Vamos dar uma olhada na primeira delas...

O que é o NDT?

NDT significa Ensaios Não Destrutivos e, tal como o nome indica, é o processo de inspeção, ensaio ou avaliação das propriedades dos materiais, componentes ou elementos maiores, como infra-estruturas, sem causar danos na peça original.

Por outras palavras, não é necessário fazer um buraco na parede de betão para a testar.

Quais são os tipos de NDT?

Existem muitos tipos de NDT. Dependem dos materiais, do princípio físico subjacente ao método e da aplicação. A inspeção visual é o primeiro tipo de NDT, que é muito poderoso e útil para recolher as primeiras informações. Outros tipos de NDT são, por exemplo

- tecnologia de ressalto para betão, papel ou rochas

- ultra-sons para betão, metal ou materiais compósitos

- ensaios electromagnéticos... e muito mais.

Existem métodos não destrutivos avançados?

Sim, existem vários métodos avançados de NDT. Podemos mencionar, por exemplo, Ultrasonic Phased Array, Time of Flight Diffraction, Eddy Current Testing ou Step-Frequency Continuous Wave GPR.

Os métodos avançados também são menos compreendidos e o seu procedimento e interpretação de dados podem ser muito complicados. Poderá ser necessário um doutoramento para compreender alguns deles.

É por isso que, na Screening Eagle Technologies, damos especial atenção ao desenvolvimento de software inteligente para processar os dados e simplificar a interpretação e a experiência do utilizador.

O nosso objetivo é democratizar a tecnologia e tornar estes métodos avançados de NDT fáceis e acessíveis a todos.

Qual é a precisão do radar de penetração no solo (GPR)?

É complicado! Depende realmente da tecnologia GPR, da aplicação e também do estado do ativo.

Por exemplo, a nossa tecnologia GPR baseia-se numa abordagem de frequência gradual que oferece uma enorme vantagem em comparação com os GPRs pulsados. Nesta tecnologia, o sensor é capaz de modular o sinal transmitido numa vasta gama de frequências, conduzindo a imagens de alta resolução em áreas profundas.

No entanto, para aqueles que gostam de manter alguns números, eu diria que a tecnologia GPR pode alcançar uma precisão sub-centímetro em betão nos primeiros 60 a 80cm e uma precisão sub-decímetro no solo nos primeiros 5 a 10m.

Como são recolhidos e geridos os dados das inspecções?

Acredite-se ou não, a maioria das inspecções ainda é gerida com papel e máquinas fotográficas! Ainda assim, os métodos tradicionais reduzem a qualidade e a disponibilidade dos dados.

Isto é muito importante, uma vez que a saúde e a segurança da infraestrutura e dos utilizadores dependem disso.

É por isso que desenvolvemos uma plataforma chamada INSPECT, que fornece todas as ferramentas necessárias numa única aplicação. Gerir os dados de inspeção é fácil quando se pode fixar automaticamente os dados e as imagens no local exato, ter visualização 3D, possibilidade de colaboração e gerar relatórios numa questão de segundos!

Como é que a aprendizagem automática pode ser utilizada para a inspeção visual automatizada?

Óptima pergunta!

A aprendizagem automática abre um mundo inteiro de possibilidades no que diz respeito à inspeção visual. Pode ajudar a ultrapassar desafios como os custos elevados, a falta de objetividade e a fraca rastreabilidade.

Vejamos o seguinte exemplo. Se dois técnicos forem enviados para inspecionar a mesma ponte, o seu relatório de inspeção e a sua avaliação poderão ser muito diferentes. Provavelmente, comunicam defeitos diferentes, ou os mesmos defeitos são comunicados com dimensões ou níveis de gravidade diferentes.

Este problema poderia ser evitado com a aprendizagem automática.

Por exemplo, o nosso motor de aprendizagem automática, DEFECT, resolve os problemas acima referidos. Todos os utilizadores obterão os mesmos resultados na deteção e digitalização de fissuras, é mais rápido e totalmente rastreável.

No futuro, os modelos de aprendizagem automática não só identificarão defeitos, como também fornecerão uma indicação da sua causa. Tudo muito interessante, pelo menos para mim.

Poderá a Inteligência Artificial prever defeitos futuros?

Absolutamente sim! De facto, a aprendizagem automática em combinação com a análise de grandes volumes de dados já está a ser utilizada para prever defeitos futuros ou para otimizar os processos de manutenção em maquinaria industrial, aeroespacial, equipamento mineiro e muitos outros.

A adoção da IA e da análise de grandes volumes de dados na construção ou inspeção de infra-estruturas ainda está atrasada. No entanto, a oportunidade existe e, na Screening Eagle Technologies, estamos a trabalhar arduamente nessa linha de I&D para colmatar essa lacuna tecnológica e sermos capazes de antecipar defeitos com antecedência suficiente.

De alguma forma, ser capaz de fornecer aos engenheiros e proprietários de activos uma bola de cristal para prever defeitos futuros.

O que é a monitorização do estado das estruturas?

Outra questão interessante...

A monitorização da saúde estrutural refere-se ao método de avaliação e controlo da saúde estrutural do bem.

Existe o equívoco geral de que a monitorização do estado de saúde estrutural consiste apenas na instalação de sensores e na recolha de dados a partir dos mesmos. No entanto, é mais do que isso.

Um sistema adequado de monitorização do estado estrutural deve também ter em conta os dados recolhidos a partir de inspecções visuais e NDT, de modo a gerar uma visão holística do estado estrutural do bem.

Para compreender melhor esta questão, pensemos nos sensores como o nosso sistema nervoso... O nosso sistema nervoso ajuda-nos a sentir coisas a que não podemos aceder ou ver. Mas se só tivéssemos um sistema nervoso, poderíamos não detetar algo de errado que está a acontecer na nossa pele. Algo que veria facilmente com os seus olhos.

Por conseguinte, são necessários todos os níveis de informação, desde os dados dos sensores até às inspecções visuais e NDT, para se ter uma visão completa.

Quais são as aplicações da aprendizagem automática e da ciência dos dados na monitorização da saúde estrutural?

Bem... O futuro está a dirigir-se para modelos orientados por dados e, com isso, para mais possibilidades de tirar partido da aprendizagem automática e da ciência dos dados na monitorização do estado de saúde estrutural.

As possibilidades são ilimitadas.

Por exemplo, tornará possível a manutenção preditiva graças à verificação contínua e automática do estado do ativo...

.... Com isso, o proprietário terá uma otimização do seu orçamento, uma vez que disporá de todas as informações necessárias para tomar a decisão certa no momento certo, sem pôr em perigo a segurança das pessoas que o utilizam...

.... Em suma, todos nós podemos beneficiar de bens mais saudáveis que durarão mais tempo e preservarão o nosso ambiente natural.

Os robôs são utilizados para a inspeção autónoma?

Para esta pergunta, gostaria de vos apresentar o Max. Olá Max!!!

Robôs como o Max podem desempenhar um papel importante no futuro da inspeção. A utilização de drones ou robôs autónomos transformará toda a indústria de inspeção, aumentando a qualidade e a segurança e proporcionando um enorme aumento da produtividade.

Bem, é tudo o que tenho para dizer hoje! Espero ter despertado em si mais curiosidade sobre o mundo da InspectionTech. Obrigado por assistir!

Quer saber mais sobre os ensaios não destrutivos com a Intelligent InspectionTech? Contacte-nos em para falar com um dos nossos especialistas em todo o mundo e ver as suas questões respondidas - estamos presentes em mais de 100 países.

Conteúdo Relacionado